Tributo a Shimon Peres – Um homem que procurou o diálogo e a paz no Médio Oriente

Tributo a Shimon Peres – Um homem que procurou o diálogo e a paz no Médio Oriente

 

Shimon Peres, nascido em 1923 na Polónia, foi duas vezes primeiro ministro de Israel e presidente do país entre 2007 e 2014, tendo falecido em 2016, aos 93 anos.

Anteriormente já havia desempenhado os cargos de ministro do Desenvolvimento do Negev e da Galileia, ministro da Administração Interna, ministro das Comunicações e ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em 1994 foi distinguido com o Prémio Nobel da Paz, em conjunto com Ytzahak Rabin e Yasser Arafat, pelos esforços de paz para o Médio Oriente, na sequência da assinatura do Acordo de Paz de Oslo, que teve lugar em 1993.

Durante os seus 70 anos de vida política e em todos os cargos que exerceu, Shimon Peres sempre teve como objetivo último a paz. Hábil, reservado, um fazedor de pontes, nomeadamente com países muçulmanos, como Marrocos e a Turquia, em 1987 negociou em segredo com o rei Hussein da Jordânia o Acordo de Londres, sobre a soberania da Cisjordânia (rejeitado pelo primeiro ministro de Israel, Yitzhak Shamir).

Em 1996 Shimon Peres fundou o Centro Peres para a Paz, organização não governamental sediada em Jafa, Israel, com o objetivo de desenvolver esforços para alcançar a paz no Médio Oriente, através do envolvimento de toda a população da região para a cooperação socioeconómica e a interação entre os povos.

Olhado com desconfiança durante algumas fases da sua vida política, ambicionava ser amado pelo seu povo que, aquando da sua morte, quase unanimemente o reconheceu como um dos pais fundadores do Estado de Israel e um estadista de excelência que sempre procurou a paz e o desenvolvimento para o país que serviu até ao último minuto.

Artigos relacionados

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimos artigos