Santos, A Cidade mais portuguesa do Brasil (Por CARLOS PÁSCOA)

Santos, a Cidade mais portuguesa do Brasil

 

A Cidade de Santos é conhecida como a Cidade mais portuguesa do Brasil, porque é muito fácil sentirmo-nos no que poderia ser uma qualquer cidade de Portugal.

Na forma de interagir com as pessoas, no comércio, na indústria, nos serviços, em cada esquina temos uma padaria, um restaurante, um pequeno mercado ou

um não tão pequeno.  Nas residências, na arquitetura, principalmente no centro histórico, nos clubes, nos hospitais, aliás é em Santos que temos o mais antigo

hospital do Brasil (Santa Casa da Misericórdia, construído em 1543), tudo nos lembra uma cidade portuguesa.

Desde o tempo de Braz Cubas, o seu fundador, até há década de 1960, Santos, devido ao seu porto, passou por vários ciclos migratórios, nestes quase cinco séculos de história.

Santos é a cidade com o maior número de portugueses por habitante. Por exemplo, em 1895, quando foi inaugurado o Centro Cultural Português, 60% da

população era composta por portugueses e hoje temos mais de 50.000 lusos inscritos no Consulado de Santos, número que só fica abaixo dos registados no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O ciclo migratório dos portugueses começou com a instalação dos Engenhos de cana do açúcar e intensificou-se com a fundação da Vila de Santos, por Braz

Cubas, e pela construção do hospital da Santa Casa da Misericórdia.

A independência do Brasil teve um Santista como figura central, José Bonifácio, que tinha muitas ligações a Portugal advindas do facto de ter estudado na Universidade de Coimbra.

São dessa época diversas construções históricas, como a Casa da Frontaria Azulejada e o Casarão do Valongo, que hoje abriga o Museu Pelé.

As crises económicas e as ondas de fome ligadas às duas guerras mundiais, propiciaram enormes vagas migratórias e muitos portugueses acabaram por se fixar de forma definitiva em Santos.

Santos, sempre dominada pelos portugueses, transformou-se numa belíssima Cidade, com uma qualidade de vida fantástica e, repito, onde se pode pensar estar numa qualquer cidade portuguesa.

Os portugueses deixaram uma herança imensurável na arquitetura, na culinária, na educação, nos modelos de proteção social, nos costumes, nas tradições, como mais nenhuma comunidade.

Temos a nossa presença marcada em Santos com tesouros como:

O Centro Cultural Português de Santos;

A Escola Portuguesa (com mais de 100 anos);

Santa Casa da Misericórdia;

A Casa da Ilha da Madeira;

A Sociedade Portuguesa de Desportos;

O Consulado de Portugal em Santos;

 

Nestes longos anos muitos portugueses se destacaram nos mais diversos setores de atividades na cidade de  Santos e dentre eles podemos destacar:

O Dr Manuel Homem de Bittencourt, Sócio fundador e Presidente Perpétuo do Real Centro Português, formado em medicina e agraciado com diversas Comendas

pelos governos de Portugal e do Brasil;

Alberto António Ferreira Veiga, jornalista, fundou o que ainda hoje é o maior grupo de Comunicações da Baixada Santista, tendo recebido do Rei Alberto da Bélgica o grau de Oficial da Ordem de Leopoldo II;

Alberto Ferreira dos Santos, o maior empresário na área de café da Região de Santos e do Paranaguá, recebeu do Governo português a Comenda da Ordem do

Infante Dom Henrique;

Joaquim da Rocha Brites, grande empresário em vários ramos de negócios, fundador do Elos Clube de Santos e Presidente de diversas Associações Portuguesas em Santos;

Arménio Mendes, empresário em vários ramos de negócios como a hotelaria, construção civil, centros comerciais, rádios (como a Jovem Pan de Santos). Foi

Cônsul Honorário de Portugal em Santos e teve uma vida muito dedicada à filantropia.

 

CARLOS PÁSCOA

ANTIGO DEPUTADO À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Artigos relacionados

Siga-nos

0FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
0InscritosInscrever

Últimos artigos